Vacinação e Desvermifugação do Pastor Alemão

Os filhotes recebem logo nas primeiras horas de vida, através do leite materno, as principais defesas do organismo contra as mais diversas doenças. Essa imunidade já vem da mãe pronta para atuar, sem que haja necessidade do animal criar anticorpos para se defender. Essa imunidade é chamada de passiva, ou seja, quando o animal parar de recebê-las, não terá reservas para se proteger.

Para evitar que os filhotes contraiam infecções de alto risco para sua saúde, devemos instituir um protocolo de vacinação, o qual criará uma imunidade ativa para que o próprio filhote possa se defender.  Para isso, utilizamos em nosso canil o seguinte protocolo.

Entre o 50° e 55° dia de vida, devemos fazer a primeira dose da vacina óctupla (V 8), para iniciarmos o processo de imunização do filhote. Essa primeira dose, em nosso canil, é feita por nós e o proprietário leva juntamente com o filhote o certificado de vacinação.  Essa vacina combate as principais afecções virais (parvovirose, cinomose, hepatite, adenovírus tipo 2, parainfluenza e coronavirose) mais a leptospirose que podem acometer os cães, principalmente na fase de desenvolvimento. O animal deve receber mais dois reforços da vacina V 8, trinta  e sessenta dias após a primeira dose.  Além dessa vacina, o filhote deve receber a vacina anti-rábica, aos seis meses de idade.

Existem ainda vacinas contra outras infecções como a giardíase, porém a sua eficiência é muito discutida, ainda não sendo comprovada a sua eficácia em 100% dos animais tratados. A vacina contra a tosse dos canis (bordetella bronchisepttica) ou contra o vírus da parainfluenza tipo 2 devem ser aplicadas em animais que vivem em colônias (canis) ou em áreas com grande número de casos da doença. Nos casos onde se optar pela vacinação conta a tosse dos canis ou parainfluenza tipo 2, também devem ser realizadas três doses, com intervalo de trinta dias entre as doses.  

Todas as vacinas que forem aplicadas nos animais quando filhotes devem receber um reforço anual, na data de vencimento da última dose aplicada quando filhote. Seguindo esse protocolo, seu filhote ficará protegido por toda vida.

A desvermifugação deve ser realizada em várias etapas, para que o filhote fique livre de todos os parasitos internos do trato gastrointestinal.  Aos vinte e cinco dias de idade, nossos filhotes recebem uma dosagem de anti-helmíntico comercial, próprio para filhotes, (Drontal® Puppy, por exemplo) por cinco dias consecutivos. Esse mesmo protocolo deve ser refeito aos 50 dias de idade.

Uma nova desvermifugação deve ser realizada aos 75 dias de idade, também com um anti-helmíntico comercial (Panacur®, por exemplo), durante três dias consecutivos.  Depois de realizada a desvermifugação inicial, o filhote ainda deve receber uma nova dosagem de anti-helmíntico aos quatro e aos seis meses de idade, ficando assim com o ciclo inicial de vermifugação completo.

O animal deve ser desvermifugado a cada seis meses, após o ciclo inicial para mantê-lo protegido.  

Realizar o ciclo completo de desvermifugação é muito importante, pois, quando o animal esta parasitado, ele compete pelo alimento com os vermes, o que muitas vezes causa perda de peso, emagrecimento, falta de vitaminas e mineiras essenciais para o desenvolvimento do filhote, dificuldade de crescimento e em alguns casos anemia, diarréia e atrofia intestinal.

Filhotes são mais susceptíveis a infecções por parasitas intestinais devido seus hábitos. Muitas vezes o filhote derruba a comida no chão, coloca as patas dentro do próprio recipiente de água, carreando os parasitos que possam estar no ambiente para dentro do seu próprio organismo.

Seguindo essas dicas você com certeza terá filhotes saudáveis.  Caso queria esclarecer outras dúvidas sobre vacinação e desvermifugação, entre em contato conosco através do nosso e-mail ou deixando sua pergunta no nosso fórum.